Publicidade

Publicidade

sábado, 6 de abril de 2019

Apps de namoro são mais populares entre pessoas com mais de 35 anos


Conheça apps que vão além do Tinder
  • happn – O aplicativo segue um sistema semelhante ao do Tinder na hora de escolher se alguém é atraente ou não. Seu diferencial é que o Happn usa a geolocalização para dar sugestões de match. Na prática, o usuário se conecta com sua conta do Facebook e sempre que ele cruzar com uma pessoa na vida real que possui o app, ela aparecerá imediatamente na tela. Dá para determinar preferências, como gênero e idade. Está disponível para Android (https://goo.gl/yj8mw7) e iOS (https://goo.gl/7zYatk). 

  • Meu Patrocínio (www.meupatrocinio.com) – O Meu Patrocínio é referência em relacionamento Sugar no Brasil. Isso é, ele une homens maduros – os Sugar Daddys – e jovens atraentes – as Sugar Babies – em compromissos cheios de dinheiro, experiências luxuosas e mudança de estilo de vida. A proposta do site é que o casal mantenha uma relação transparente quanto aos seus interesses pessoais e financeiros para com o parceiro. 

  • Bumble – Bem parecido com o Tinder, o aplicativo conecta pessoas que estão próximas e é necessário que os dois lados estejam interessados para que um vínculo seja estabelecido. O pulo do gato é que ele usa a tática do Snapchat de autodestruição, no qual a conexão expira se não ocorrer um contato em apenas 24 horas. E o mais curioso: são as mulheres que devem dar o primeiro passo. Está disponível para Android (https://goo.gl/Z21aCs) e iOS (https://goo.gl/B5C86j). 

  • AdoteUmCara – É um aplicativo de paquera com um propósito diferente: as mulheres estão no comando. Na prática, elas veem as opções disponíveis e decidem com quem quer conversar. As garotas podem achar seus pares pela localização, por uma busca detalhada ou por hashtags, como #barbudo, #pagadegatinho e #boêmio. Disponível para Android (https://goo.gl/VzLgAX) e iOS (https://goo.gl/gfVhnY), o app é gratuito para as meninas, mas possui funcionalidades pagas para os garotos. 

  • Lili Fox – Este aplicativo para Android (https://goo.gl/pF1mjY) e iOS (https://goo.gl/xz8Fbr) é bem parecido com o Tinder. Na tela, aparecem as pessoas próximas a você. A diferença é que não dá para indicar diretamente se a sugestão te agradou. É necessário adivinhar um interesse escolhido pelo usuário dentre três opções para revelar o perfil. O interessante é que as mulheres possuem bem mais poder no Lili Fox. São elas quem determinam se o bate-papo irá abrir ou não. 

  • Kickoff – O Tinder para relacionamento sério. Assim é definido o Kickoff. Mais seletivo, o aplicativo prioriza a qualidade dos perfis. Apenas pessoas que tenham conexão com seu círculo social são apresentadas. E há um número limite de sugestões por dia, então, se você recusar todas, terá que esperar até o dia seguinte para ver novas pessoas. Vale lembrar que apenas se o interesse for mútuo um bate-papo é aberto. Está disponível para Android (https://goo.gl/paGByq) e iOS (https://goo.gl/EsfjGc). 

  • Fresh – Este é um aplicativo criado pelo Match Group, a mesma empresa do Tinder. Embora também tenha o objetivo de unir casais como seu irmão mais velho, o software se espelha em dois concorrentes: happn e Snapchat. Sua proposta é que o usuário tire uma selfie por dia. Caso não renove a foto em 24 horas, seu perfil é jogado para o fim da fila de pretendes. Está disponível para Android (https://goo.gl/ypo3AE) e iOS (https://goo.gl/tNE4oX). 

  • Hot or Not – Disponível para Android (https://goo.gl/JUdzPg) e iOS (https://goo.gl/ZSzSVs), o aplicativo é uma mistura de Tinder com Lulu – aquele programa em que as mulheres davam notas aos homens. Isso porque, além de conversar e dizer se você gostou ou não de alguém, é possível dar nota pela beleza das pessoas. O único problema é que você tem que alimentar o app com fotos constantemente, caso contrário, as imagens de usuários, sua pontuação e outras características ficam ocultas. 

  • Deeper – Na contramão dos aplicativos de paquera que existem no mercado, o Deeper acredita que a compatibilidade deve ir além das aparências. Tanto é que oferece aos usuários a opção de conversar sem ter suas fotos totalmente reveladas. As imagens de perfil ficam borradas e só são mostradas se a pessoa decidir que quer liberá-las após o bate-papo. Está disponível para Android (https://goo.gl/nacaQu) e iOS (https://goo.gl/y3AzxZ). 

  • Nerd Spell – Muito além de encontrar quem está próximo a você, este aplicativo de namoro reúne usuários que curtem cultura pop. O programa é uma mistura de Tinder com jogo RPG. Na prática, em vez de clicar em um “coração”, o usuário deve lançar feitiços para conquistar seu player 2. Está disponível para Android (https://goo.gl/MhyDPK) e iOS (https://goo.gl/zPtEJA).]
  • Poppin – Este aplicativo para Android (https://goo.gl/8JxZ2H) e iOS (https://goo.gl/Voge1m) segue a característica do Tinder de conectar pessoas por meio de “matches”, mas seu diferencial é que o programa não faz sugestões aleatórias. O Poppin usa os eventos que você confirmou no Facebook e mostra apenas quem também vai comparecer na mesma festa ou balada. E mais: caso não tenha nada confirmado, o próprio app sugere uma série de eventos próximos ao usuário. 

  • Hater – Enquanto os aplicativos de namoro mostram interesses em comum que você possui com possíveis pretendes, o Hater tem a intenção de unir quem odeia as mesmas coisas. E os gostos vão desde o ator Shia LaBeouf até andar devagar pela calçada. Com mais de 3 mil assuntos que podem servir para quebrar o gelo na hora de conversar com seus matches, o app está disponível para Android (https://goo.gl/8DWeJ9) e iOS (https://goo.gl/MSntZs). Vale ressaltar que está em inglês. 
Fonte : MSN